ryot iras

anti-depressivos

Jonathan Safran Foer

eros

cliquem para ver a imagem ampliada
essa ficou dificil pra ler assim

Galos

essa talvez seja contextual demais
e necessita de uma rápida explicação

outro dia aqui em BH foi o dia do atleticano
o atlético mineiro comemorou 100 anos

tinha maior galera sacudindo bandeira, buzinando
enfim fazendo o maior escarcéu o dia todo

nada contra torcer, aliás acho isso muito bacana
quando feito de maneira saudável (tipo, sem ter que matar outras pessoas)

aliás a tira parece absurdamente cômica
mas é tragicamente real

Respondendo um comentário que pode ser útil pra mais gente aí.

Anônimo disse…

Cara,muito boas suas tiras,e você conheceu o Dahmer,você é meu ídolo **,ryot,queria saber que ferramentas você usa para realizar seu trabalho,photoshop?qual?vetorizador?qual? por favor cara,to desesperadamente tentando ser um cartunista,me ajuda **

Muito Obrigado!!!
Bom meu caro amigo Anônimo, acho que sua dúvida é de muitos e fico feliz que tenha mais pessoas se interessando por esse tipo de linguagem.
Só vou alertando que ganhar grana como Cartunista é foda. Eu mesmo nunca ganhei um tostão com nenhuma dessas tiras. Nem o meu zine impresso que eu vendi por meros 50 centavos me deram algum lucro. Na verdade fiquei no preju total. haha. Mas não quero desanimar ninguém. Por que é um lance muito bom de se fazer. Acho que todos deveriam tentar.

Mas respondendo à sua pergunta:

Tipo, eu uso ferramentas variadas pra fazer as tiras. Na verdade nem tanto. Geralmente eu faço no FLASH, em vetor mesmo. Mas há o Ilustrator que também desenha em vetor e parece ser melhor que o FLASH nisso. Outro dia fiz uma tira usando o Painter mas ainda não sei mexer direito com ele. To aprendendo. Ultimamente eu tenho feito mta tira na mão mesmo e escaneando. Daí eu trato e coloco cor no bom e velho PHOTOSHOP. Enfim é isso, mas o mais bacana mesmo é você fazer experimentações e tal. No salão de humor de piracicaba, há uns tempos atrás, eu vi um cara que fez tiras com palitos de fósforos e clipes de papel. E ficou incrivelmente foda. Enfim, acho que você não deve ficar preso à técnica ou métodos, deixe suas idéias fluírem livremente e elas determinarem como você vai desenvolvê-las. Tem gente que usa até foto (eu mesmo usei uma vez numa tira chamada R. MUTT). Às vezes nem mesmo com o desenho você tem que se preocupar tanto, veja por exemplo o próprio Dahmer, que tem desenhos bem simples mas tem tiras bastante profundas. Tem também a galera do explosm.net que produzem as tiras mais bacanas e famosas atualmente desenhando apenas bonequinhos de pauzinhos. No caso essa simplicidade também acompanha o raciocínio dos temas que eles desenvolvem.
Por isso, repito que o mais importante é um casamento bacana da idéia com sua representção visual. Desenvolvê-las juntas de maneira igual. Não ficar apenas focado em uma delas.

Espero que eu tenha te ajudado.

E já vou dizendo que há muito tempo estou fazendo tirinhas relacionadas ao tema “como fazer tirinhas”, uma espécie de didática metalinguistica com pretensão megalomaniaca de proliferar a raça. Aguardem. :)

Piano Horse

uma ilustração atowa

abismo

futuro do pretérito mais que perfeito

play

feliz pascoa

tirinha de páscoa atrasada